ISCP Virtual

Avaliação Institucional - CPA

O que é CPA

A CPA é a Comissão Própria de Avaliação, integrada por representantes da comunidade universitária do ISCP (gestores, docentes, discentes e técnico-administrativos) e da sociedade civil organizada respeitando a paridade dos integrantes.

A atual comissão foi nomeada pela Portaria de 21 de maio de 2018 do Instituto Superior de Ciências Policiais - ISCP, em cumprimento ao que determina a Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004.

 

Objetivos

O objetivo principal da CPA é assegurar a evolução contínua e sistemática do ISCP e do processo avaliativo institucional, criando, mantendo e fomentando a sua cultura por meio da condução dos processos internos de avaliação, focando sempre na constante melhoria da qualidade dos seus cursos, estruturas, relações, compromisso social, atividades e finalidades, prestando, quando solicitado, informações ao INEP.

 

Atuação

A CPA reúne-se, ordinariamente, semestralmente e, extraordinariamente, quando convocada por seu Coordenador. O comparecimento dos membros às reuniões da CPA do Instituto Superior de Ciências Policiais é obrigatório e precedido de convocação formal expedida pelo Coordenador.

1) Atribuições do Coordenador:

- Convocar e definir a pauta das reuniões;

- Manter a ordem, cumprir e fazer cumprir as presentes normas de funcionamento;

- Submeter a matéria em pauta à discussão, bem como anunciar o seu resultado;

- Convocar representantes de qualquer setor da instituição para participar de sessões ordinárias ou extraordinárias ou prestar informações relativas ao processo interno de avaliação;

- Assinar e expedir as decisões tomadas pela CPA;

- Representar a CPA junto aos órgãos do Ministério da Educação integrantes do SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior);

- Orientar a atualização técnica da Comissão quanto aos assuntos pertinentes à avaliação.

2) Atribuições dos Membros:

- Atualizar-se nos assuntos vinculados à avaliação institucional, comparecer às reuniões da CPA, sempre que agendadas;

- Analisar relatórios de resultados e disseminar as informações;

- Esclarecer os aspectos vinculados à concepção, procedimentos e resultados da avaliação nos diferentes espaços da IES, contribuindo para o fortalecimento da cultura avaliativa

- Acompanhar o impacto das ações da ISCP, subsidiando a CPA de informações relevantes para o processo avaliativo e realizar trabalhos necessários ao adequado funcionamento da CPA, solicitados pelo Coordenador da CPA.

 

Composição Atual

Coordenador: 

André de Sousa Costa – TC QOPM (Gestor)

Membros: 

- Hélio da Silva Santos – TC QOPM RR (Coordenador de Cursos)

- Izabel Carolina da Silva Maia – MAJ QOPM (Corpo Técnico Administrativo)

- Maria Cristina Amélia Borges dos Santos (Corpo Docente)

- Wanderson Ferreira Correia – 3º SGT QPPMC (Corpo Discente)

- Angélica Acácia Ayres Angola de Lima (Sociedade Civil)

 

HISTÓRICO DA CPA

 

   No ano de 2019 completou-se 12 anos que a Acadêmica de Polícia Militar de Brasília implantou a autoavaliação da prática docente. Ao longo desses 12 anos, na Seção de Avaliação da Aprendizagem – SVA se consolidou a compreensão da autoavaliação da prática docente enquanto parte do processo de formação pedagógica, didática e metodológico do docente civil e militar da APMB.

   Em 2012 com o Credenciamento do Instituto Superior de Ciências Policiais e autorização de funcionamento do Cursos de Graduação ampliou-se o processo de avaliação institucional com a criação da Comissão Própria – CPA. Esse processo de formação profissional foi alimentado semestralmente pelas atividades pedagógicas de coordenação e organização do trabalho pedagógico.

   Inicialmente uma das fontes de alimentação da formação continuada do professor civil e militar foi o retorno da avaliação semestral na avaliação da prática docente. Como se tornou uma prática recorrente, sempre em reunião de coordenação pedagógica individual, no início de cada semestre, os professores civis e militares passaram a receber relatório com o resultado obtido da avaliação realizada pelos estudantes de sua prática docente. O retorno da autoavaliação da prática docente recebeu o nome de devolutiva.

   A CPA alimentou o processo de ação-reflexão-ação dos docentes civis e militares e permite aos docentes a autorreflexão e busca da melhoria didática e pedagógica presente nos indicadores avaliados no relatório semestral da prática docente.

   A CPA realizou suas ações e elaborou seus instrumentos de acordo com indicadores da Avaliação das Instituições de Educação Superior, formalmente instituída em 14 de abril de 2004 pela Lei nº 10.861/2004, estabelece em seu primeiro artigo o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). No que se refere à Avaliação Institucional, o artigo 3º define as dimensões institucionais que devem ser avaliadas (interna e externamente). São elas:

(1) Missão da Instituição;

(2) Política para o ensino, a pesquisa, pós-graduação e extensão;

(3) Responsabilidade social da Instituição;

(4) Comunicação com a sociedade;

(5) Políticas de pessoal, carreiras do corpo docente e técnicos administrativos;

(6) Organização e gestão da Instituição;

(7) Infraestrutura física;

(8) Planejamento e avaliação dos processos da auto avaliação institucional;

(9) Políticas de atendimento ao estudante;

(10) Sustentabilidade financeira.

   Assim a CPA  do ISCP desenvolveu instrumentos para a avaliação de cada uma dessas dimensões visa, sobretudo, ao (auto) conhecimento do ISCP. Além de contribuir para a melhoria e aperfeiçoamento da Instituição em sua totalidade, o processo de Auto Avaliação Interna.

   A CPA do ISCP tem buscado, desde a sua criação, criar uma cultura de avaliação institucional, produzir conhecimento e aferir qualidade da prática educativa desenvolvida pela instituição conforme está detalhado nos relatórios.

   Os relatório da CPA foi organizado em duas partes. A primeira apresenta o resultado da avaliação institucional, fundamentada na lei 10.861 de 14 de abril de 2004, e a segunda apresenta os resultados da avaliação da prática docente, fundamentada na Proposta Pedagógica do Curso de Tecnologia em Segurança Público, na Diretriz Curricular Nacional da SENASP. Ambos as atividades foram realizadas pela Comissão Própria de Avaliação do Instituto Superior de Ciências Policiais – ISCP ao longo do ano de ano letivo no curso de Tecnologia em Segurança Pública.

 

METODOLOGIA

    Por se tratar de um processo, a Avaliação Institucional Interna foi antecedida por planejamento, testes de instrumentos e sensibilização da comunidade acadêmica.

    A Comissão Própria de Avaliação definiu, como primeira medida, a realização da sensibilização da comunidade acadêmica realização semestral. Para isso, foram realizadas reuniões com o corpo docente e discente, assim como com o corpo técnico-administrativo da instituição. Em diferentes momentos e em várias oportunidades, a comunidade acadêmica era lembrada da importância da Avaliação e do seu papel para o aperfeiçoamento institucional.

    Paralelamente ao contínuo trabalho de sensibilização, a CPA deu início à revisão e reestruturação dos questionários para a coleta de dados entre discentes, docentes e técnicos. O instrumento anterior foi revisado à luz das dimensões estabelecidas pelo Sinaes e submetido à análise de todos os componentes.

    Em 2016 foram realizadas as alterações indicadas e, uma vez aprovados os instrumentos, teve início o pré-teste. Para isso, foram selecionados 05 discentes e 03 docentes de cada um dos cursos, além de 02 técnicos-administrativos. Os questionários foram enviados por e-mail, visto que essa foi a forma de aplicação escolhida pela Comissão. Pediu-se aos respondentes que enviassem a sua impressão sobre o questionário e fizessem comentários.

    Após a aplicação, a CPA reuniu-se novamente e estabeleceu o calendário de avaliação a ser executado até Março de cada ano.

 

Calendário das ações Anuais da CPA para a Avaliação Institucional Interna

PERÍODO

ATIVIDADE

Julho

Início da estruturação da Avaliação Institucional Interna semestral

Julho-Novembro

Sensibilização da comunidade acadêmica por meio de palestras, conversas e atuação das Coordenações dos cursos

Setembro-Novembro

Revisão dos instrumentos a serem aplicados

Novembro

Aprovação dos novos instrumentos de avaliação

Novembro

Pré-teste do instrumento com os discentes

Dezembro

Pré-teste do instrumento com os docentes

Dezembro

Pré-teste do instrumento com o corpo técnico

Dezembro

Ação de sensibilização dos discentes pelo e-mail – Informe sobre o período de avaliação institucional para o curso de Ciências Policiais

Dezembro

Envio dos questionários para o curso de Ciências Policiais

Janeiro

Ação de sensibilização dos discentes pelo e-mail – Informe sobre o período de avaliação institucional para o curso de Tecnologia em Segurança Pública

Janeiro

Envio dos questionários para o curso de Tecnologia em Segurança Pública

Janeiro

Envio dos questionários aos docentes

Janeiro

Envio dos questionários aos técnicos administrativos

Fevereiro

Devolutiva das avaliações da CPA aos Docentes

Fevereiro

Devolutiva do resultado da Avaliação aos Discentes

Março

Analise de tabulação dos dados

Abril

 Finalização do Relatório de Avaliação Institucional Interna

Fonte: CPA

Instrumentos

 

    Adotou-se o questionário como instrumento para a coleta dos dados. Em todas as questões, pediu-se aos respondentes para marcar numa escala de 1 a 5 a alternativa que mais se aproximava de sua percepção, sendo:

1 – DISCORDO TOTALMENTE;

2 – DISCORDO PARCIALMENTE;

3 – NEM CONCORDO NEM DISCORDO;

4 – CONCORDO PARCIALMENTE;

5 – CONCORDO TOTALMENTE.

    Inicialmente os instrumentos foram elaborados utilizando a ferramenta de questionários do Google Docs e enviados aos respondentes por email e Whatsapp. O programa gerava uma relação das respostas, de onde foram extraídas as médias por indicador.

    Posteriormente o instrumento atualizado foram aplicados em blog internos do ISCP no laboratório de informativa da APMB/ISCP.

    E atualmente, a Avaliação institucional é aplicada por acesso ao Site do ISCP Virtual.  

    Para atender aos indicadores da Avaliação Institucional foi um instrumento com a autoavaliação composta por 12 itens. Um outro instrumento com uma avaliação da IES, que englobava os dirigentes, composta por 24 itens.

    Além dos coordenadores, o corpo técnico respondeu uma auto avaliação, composta por 11 itens; uma avaliação dos gestores contendo 13 itens e uma avaliação da IES, com 18 itens.

    Os docentes também responderam a 3 questionários, sendo eles a auto avaliação, com 14 itens; avaliação da Coordenação, composta por 10 itens e a avaliação da IES, composta por 23 itens.

Finalmente, os discentes fizeram a avaliação de 04 Dimensões:

A primeira foi uma autoavaliação composta por 13 itens;

A segunda foi a avaliação da Coordenação/Gestão, contendo 9 questões;

A terceira foi a avaliação da IES, com 26 itens e;

A quarta foi a avaliação da prática docente contendo 17 itens organizada em 3 indicadores.

Copyright © 2016 Informática ISCP. Todos os Direitos Reservados. Setor de Áreas Isoladas Sudeste - SAISO Área Especial - Asa Sul - Brasília-DF. CEP: 70610-200 - pga@iscp.edu.br - 61 - 3910-1556